Descomplicando a Contratação de Designers Instrucionais: Orientações para Recrutadores

Olá, recrutadores e profissionais de RH!
Você tem sentido dificuldade em preencher aquela vaga demandada pela área de Treinamento?
Hoje, eu gostaria de conversar com você,,, tenho certeza de que podemos nos ajudar.

Em uma busca rápida por vagas para designers instrucionais, é possível encontrar descrições que misturam atribuições de várias áreas de conhecimento: design gráfico, programação, edição de vídeo e outras. 

Além disso, parece haver uma certa confusão entre os níveis de experiência, com tarefas de um profissional em nível Junior misturadas às de um Pleno ou Sênior.
Este cenário traz dificuldades para os profissionais da área e para os recrutadores, que podem não estar atraindo os candidatos mais adequados para suas vagas, sim?

Eu entendo que a culpa não é sua, mesmo!
De fato, o design instrucional é uma área não muito conhecida… embora, você certamente já tenha sido influenciado – positiva ou negativamente – por ele ao realizar cursos online na sua organização ou fora dela.

Quem é o(a) designer instrucional

Antes de mais nada, é preciso entender quem é o designer instrucional. Este profissional é responsável pela criação de experiências de aprendizagem eficazes, usando uma combinação de métodos pedagógicos, design de conteúdo e tecnologia. 

Esse profissional bebe de 3 fontes: a psicologia cognitiva, a comunicação e tecnologia e a administração/gestão de projetos.

Já viu o porquê de tanta confusão, não é?

Ele não é um designer gráfico, embora possa trabalhar com um; tampouco é um programador, embora possa interagir com um em determinados projetos; não é professor, mas apoia o trabalho deste; também não é administrador, mas se vale da abordagem sistêmico para atuar em projetos de aprendizagem complexos.

Acesse o Manifesto do Designer Instrucional para saber mais sobre este profissional.

Níveis de Experiência: Junior, Pleno e Sênior

Na profissão de designer instrucional, assim como em muitas outras, os níveis de experiência têm uma distinção importante e afetam tanto as responsabilidades quanto as expectativas para o profissional. 

Vamos discutir cada um desses níveis:

  • Junior

Este é o nível de entrada na carreira de designer instrucional. Normalmente, os DIs Juniores estão começando na profissão e ainda estão em processo de aprender sobre os principais conceitos, ferramentas e melhores práticas da área. Suas responsabilidades são geralmente mais supervisionadas e eles tendem a apoiar projetos mais do que liderá-los. Podem trabalhar em tarefas como desenvolver materiais de apoio, revisar conteúdo, ajudar no design de cursos sob a orientação de um profissional mais experiente, entre outros.

  • Pleno

No nível pleno, o designer instrucional já possui um sólido conhecimento dos princípios de design instrucional e é capaz de aplicá-los com eficácia na prática. Eles têm experiência suficiente para conduzir projetos de média complexidade com relativa autonomia, embora ainda possam buscar aconselhamento de colegas mais experientes para desafios mais complexos. No dia a dia, suas tarefas podem incluir a concepção e o desenvolvimento de programas de treinamento completos, a colaboração com stakeholders para identificar necessidades de aprendizagem, a implementação de avaliações de aprendizagem, entre outros.

  • Sênior

No nível sênior, o designer instrucional possui vasta experiência e um profundo conhecimento da área. Eles são capazes de conduzir projetos de alta complexidade e podem ser chamados para solucionar problemas particularmente desafiadores. Eles também podem atuar como mentores para designers instrucionais juniores e plenos, compartilhando suas experiências e conhecimentos. Suas responsabilidades podem incluir a estratégia de aprendizado de uma organização inteira, o desenvolvimento de cursos inovadores que utilizam a tecnologia de ponta, a gestão de projetos de grande escala, entre outros.

Lembrando que cada organização pode ter suas nuances em relação a essas definições, mas em termos gerais, esta é a progressão que se espera na carreira de um designer instrucional.

Aqui, vale ressaltar que, de forma geral, designers instrucionais já possuem graduação em outras áreas, logo, embora possam estar iniciando nesta carreira, já acumulam conhecimento e experiência em outras áreas.

Como Criar uma Vaga de Emprego para um Designer Instrucional

Entender o papel do designer instrucional e os diferentes níveis de experiência é apenas o primeiro passo. Com esse entendimento, é possível criar descrições de vaga mais eficazes e atrativas para os profissionais certos. 

Aqui estão algumas dicas para você fazer isso:

  • Defina claramente as responsabilidades

Este ponto não pode ser enfatizado o suficiente. As responsabilidades da vaga devem estar claramente alinhadas com o papel do designer instrucional, e não misturadas com as de outras funções, como design gráfico ou programação. 

Claro, o designer instrucional pode precisar ter conhecimentos básicos dessas áreas, mas o foco principal de suas tarefas deve ser a criação e implementação de experiências de aprendizagem eficazes.
Por exemplo, suas responsabilidades podem incluir a análise de necessidades de aprendizagem, a criação de estratégias de treinamento, o desenvolvimento de materiais de apoio à aprendizagem, a implementação de avaliações de aprendizagem e o acompanhamento dos resultados dos programas de treinamento.

  • Determine o nível de experiência necessário

É importante ser explícito sobre o nível de experiência que você está procurando. Se é uma vaga para um profissional júnior, as responsabilidades e as expectativas devem refletir isso.
Um erro comum é listar responsabilidades que são mais adequadas para um profissional pleno ou sênior em uma vaga para um Junior. Isso pode afastar os candidatos iniciantes que de outra forma seriam adequados para a posição.

  • Descreva as habilidades necessárias

A descrição das habilidades necessárias deve ser tão precisa quanto possível. Em vez de listar um grande número de habilidades técnicas que podem não ser essenciais para o papel, é importante priorizar as habilidades centrais de um designer instrucional. Isso inclui a capacidade de criar experiências de aprendizagem eficazes, o conhecimento de teorias e práticas pedagógicas/andragógicas, habilidades de comunicação e colaboração, e, claro, uma compreensão da tecnologia que será usada para entregar o treinamento.

  • Dê uma visão do ambiente de trabalho

Uma boa descrição de vaga também dá uma ideia do ambiente de trabalho e da cultura da empresa. Isso pode incluir informações sobre a equipe com a qual o designer instrucional irá trabalhar, os tipos de projetos que ele ou ela pode esperar, os valores da empresa e o que ela oferece em termos de desenvolvimento profissional.

  • Seja transparente sobre a remuneração e os benefícios

Embora nem todas as empresas possam divulgar a faixa salarial na descrição da vaga, ser transparente sobre a remuneração e os benefícios sempre que possível pode ajudar a atrair os candidatos certos e gerenciar suas expectativas desde o início.

Ao seguir estas orientações, você estará em uma melhor posição para atrair candidatos qualificados para a vaga de designer instrucional e ajudar a garantir que os candidatos saibam exatamente o que esperar do papel, o que você acha?

Conclusão

Definir corretamente uma vaga de emprego para um designer instrucional é uma ação que beneficia todos os envolvidos no processo.

Ao compreendermos melhor o papel do designer instrucional e ao descrevermos de maneira clara as responsabilidades e habilidades necessárias, criamos um ponto de partida sólido para um processo de recrutamento eficaz.

Para o recrutador, uma vaga bem definida facilita a triagem e seleção dos candidatos mais apropriados para o cargo. Isso permite um processo mais eficiente, com uma probabilidade maior de identificar candidatos que estejam alinhados com as necessidades da organização.

Para o candidato, a clareza na descrição da vaga permite que ele avalie de maneira precisa se possui as competências necessárias e se está alinhado com as expectativas do cargo. Isso contribui para a candidatura a vagas que realmente estejam em consonância com suas habilidades e experiências, aumentando suas chances de sucesso.

Para a organização, a precisão na definição da vaga de designer instrucional pode resultar em uma contratação mais bem-sucedida. Um profissional adequadamente selecionado é mais propenso a ter um desempenho eficaz, a contribuir para a obtenção dos objetivos organizacionais e a permanecer mais tempo na empresa, reduzindo custos com rotatividade.

Por fim, uma compreensão mais precisa do papel do designer instrucional contribui para o reconhecimento e valorização desta profissão, que desempenha um papel crucial no desenvolvimento de pessoas e organizações em nosso mundo cada vez mais orientado para a aprendizagem.

Portanto, vamos juntos trabalhar para aprimorar nossas descrições de vagas, tornar nossos processos de recrutamento mais eficazes e contribuir para o desenvolvimento da profissão de designer instrucional.

Conto com vocês, recrutadores e profissionais de RH!
E podem contar comigo também!
Se você tiver alguma dúvida na descrição de uma vaga para DI, me chama para tomar um café e podemos fazer isso juntos, será um prazer.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 18 =