Quantos papéis um designer instrucional é capaz de assumir?

No fascinante mundo do Design Instrucional, frequentemente nos encontramos em um cenário de constante evolução e demanda. Para aqueles que atuam assumindo as funções de uma equipe inteira, o cenário pode ser ainda mais complexo, tendo que vestir não apenas um, mas vários chapéus ao mesmo tempo.

E cada papel desempenhado carrega consigo uma série de desafios e competências que precisam ser honrados.

Vamos conhecer a seguir os principais atores envolvidos nos projetos de treinamento online que são, comumente, assumidos pelos DIs:

– Designer Instrucional

O DI é responsável por organizar as informações de treinamento, criar uma sequência lógica de abordagem e aplicar estratégias que cumpram com os objetivos do projeto.

Para isso, esse profissional percorre um processo que inclui tarefas como:

Análise das Necessidades

Antes de criar qualquer conteúdo, o DI identifica e avalia as necessidades de aprendizagem. Isso pode envolver o entendimento gaps de aprendizagem, dos objetivos da organização e da avaliação do contexto em que o treinamento ocorrerá.

Definição de Objetivos de Aprendizagem

Com base na análise, o DI estabelece objetivos claros e mensuráveis para o treinamento, garantindo que cada elemento do curso trabalhe em direção a esses objetivos.

Desenho e Estruturação

O DI decide a melhor estratégia de aprendizagem, seja ela baseada em e-learning, presencial ou uma abordagem híbrida. Ele estrutura o conteúdo de forma lógica, assegurando uma sequência lógica que facilita a compreensão do conteúdo.

Desenvolvimento de Conteúdo

Com um plano em mãos, o DI desenvolve ou cura o conteúdo, incorporando elementos interativos e avaliações para melhorar o engajamento e a retenção do conhecimento.

Avaliação e Iteração

Após a implementação, o DI avalia (ou deveria!) a eficácia do treinamento. Isso pode envolver a coleta de informações vindas das Avaliações de Reação, de Conhecimento, de Aplicabilidade e de Resultado.

Com base na análise desses dados, o treinamento pode ser melhorado.

– Designer Gráfico

O DG é um profissional especializado na criação e montagem de imagens, layouts e outros elementos visuais, utilizando tanto técnicas manuais quanto digitais. No contexto do design instrucional e do e-learning, o designer gráfico desempenha um papel crucial na criação de experiências de aprendizado envolventes, eficazes e esteticamente agradáveis.

– Conteudista ou Especialista no Assunto

Em tese, um DI não é conteudista, a não ser que ele seja especialista no tema que será ministrado, mas… sabemos que, em muitas organizações, não é bem assim.

É mais comum do que deveria que Designers Instrucionais sejam cobrados por “construir conteúdo” sobre determinado tema. Nesse caso, o ideal é que ele se posicione como curador de conteúdos externos; sempre citando as fontes, não só por questões de reconhecimento da autoralidade, mas também para preservar sua integridade profissional.

– Facilitador de Treinamento

Não é raro ver vagas para Designers Instrucionais que incluem como tarefa a condução de treinamentos presenciais e online. Neste caso, o DI assume não só os bastidores da construção da experiência de aprendizagem, mas também assume a frente para conduzi-la.
Assumir esse papel traz uma visão constantemente renovada para o DI.

Além de transmitir o conteúdo, ele transforma teoria em prática, garantindo a aplicabilidade dos conteúdos estudados no mundo real.

Através da empatia, o facilitador compreende e atende às necessidades dos aprendizes, criando um ambiente onde eles se sentem à vontade para interagir e aprender.

O feedback contínuo é fundamental, permitindo ajustes nos treinamentos futuros.

 Por ser adaptável, o facilitador se ajusta às variações entre os grupos, otimizando a experiência de aprendizado. Ele não é apenas um comunicador, mas um guia e defensor do processo de aprendizagem.

– Desenvolvedor de eLearning

Em resumo, o Desenvolvedor de E-learning é a ponte entre o conteúdo e o aluno digital. Ele traduz objetivos de aprendizagem em experiências digitais dinâmicas, garantindo que os alunos não só consumam informações, mas também interajam e se engajem profundamente com o curso, promovendo uma aprendizagem imersiva e significativa.

Esse papel requer domínio de ferramentas de autoria e conhecimentos de User Experience, Design Gráfico, Web Design e tantos outros que permitam a construção de treinamentos digitais eficientes.

– Revisor de Conteúdo

Sua função vai além de apenas verificar gramática e ortografia; envolve garantir que o conteúdo seja claro, coeso, preciso e relevante para o público-alvo. Aqui estão algumas das responsabilidades envolvidas nessa função:

Verificação de Precisão e Clareza

O revisor deve assegurar que o conteúdo seja preciso em termos de fatos, datas, nomes e outros detalhes. Além disso, ele precisa garantir que o texto seja claro e compreensível, eliminando ambiguidades ou frases confusas.

Consistência e Coerência

Cada material deve ter uma voz e estilo consistentes. O revisor verifica se há variações no tom, estilo ou terminologia usada e assegura que o conteúdo siga um padrão, oferecendo uma leitura fluída e coesa.

Correção Gramatical e Ortográfica

Uma das responsabilidades mais básicas, mas cruciais, do revisor é identificar e corrigir erros gramaticais, ortográficos e de pontuação. Um texto com muitos erros pode comprometer sua credibilidade e distrair o aluno.

Verificação de Formatação

Além do conteúdo em si, o revisor muitas vezes verifica a formatação do material, garantindo que ele siga as diretrizes estabelecidas, seja esteticamente agradável e fácil de seguir.

Adequação ao Público-Alvo

O revisor deve ter em mente o público-alvo e assegurar que o conteúdo seja relevante e apropriado para ele. Isso pode envolver verificar o nível de linguagem, exemplos utilizados ou a inclusão de determinados tópicos.

Feedback Construtivo

Além de identificar problemas, um bom revisor oferece sugestões para melhorar o conteúdo. Esse feedback pode ser sobre a reorganização de seções, sugestões de exemplos adicionais ou formas de tornar o texto mais envolvente.

Verificação de Fontes e Citações

Em materiais acadêmicos ou de treinamento, o revisor pode ser responsável por verificar a precisão das fontes citadas e garantir que todas as informações sejam devidamente atribuídas.

– Analista de Qualidade (QA)

Muitas vezes referido pelo termo em inglês “Quality Assurance” ou simplesmente “QA”,  o Analista de Qualidade desempenha um papel vital em projetos de treinamento, principalmente em projetos longos ou contínuos.

Este profissional se certifica de que um produto ou serviço atenda a padrões específicos de qualidade antes de ser lançado ao mercado ou entregue ao cliente final.

No contexto do design instrucional e desenvolvimento de e-learning, o analista de qualidade se concentra em garantir que o treinamento seja eficaz, livres de erros e proporcione uma experiência positiva para os usuários. Aqui estão algumas das responsabilidades e importância deste profissional:

Testes e Validação

Uma das principais tarefas do QA é testar o curso em diferentes cenários para garantir que ele funcione como esperado. Isso pode envolver testar links, interatividades, quizzes, simulações e verificar se há erros ou falhas.

Feedback Construtivo

O analista de qualidade não apenas identifica problemas, mas também sugere maneiras de corrigi-los. Esse feedback é crucial para a equipe de desenvolvimento ajustar e aprimorar o material antes de seu lançamento.

Revisão de Conteúdo

Embora o foco do QA seja frequentemente técnico, eles também examinam o conteúdo do curso em busca de inconsistências, informações desatualizadas ou qualquer outra questão que possa afetar a experiência do aluno.

Verificação de Padrões

Muitas organizações adotam padrões específicos para seus materiais de e-learning, seja em termos de design, acessibilidade ou formatos técnicos. O analista de qualidade garante que o conteúdo cumpra esses padrões.

Comunicação com a Equipe

Uma comunicação eficaz com designers, desenvolvedores e outros membros da equipe é essencial. O QA fornece feedback regular sobre seus achados e trabalha em conjunto para encontrar soluções.

Foco no Usuário

O analista de qualidade coloca-se no lugar do usuário final para garantir que a experiência de aprendizagem seja intuitiva, envolvente e livre de obstáculos.

Documentação

Manter registros detalhados dos testes realizados, dos problemas encontrados e das soluções propostas é crucial para o processo de QA. Esta documentação é útil para revisões futuras e para manter um histórico de qualidade.

– Administrador de LMS

Nessa função, o papel do DI é gerenciar, implementar e monitorar o ambiente de aprendizagem online de uma organização, seja um CMS, LMS ou LxP, que são plataformas essenciais no contexto de T&D Corporativo, servindo como o principal ponto de interação entre os alunos e os conteúdos de e-learning.

Assim, essas podem ser alguma das tarefas envolvidas:

Configuração e Personalização

O administrador de LMS garante que a plataforma esteja adequadamente configurada para atender às necessidades específicas da organização. Isso pode incluir a personalização da interface do usuário, a definição de parâmetros de segurança e a integração com outros sistemas, como sistemas de RH ou CRM.

Gestão de Usuários

O administrador deve garantir que os alunos e instrutores tenham os níveis adequados de acesso e também pode ser responsável por segmentar os usuários em grupos ou categorias, com base em funções, departamentos ou níveis de formação.

Upload e Gerenciamento de Conteúdo

O administrador é responsável por carregar, atualizar e retirar cursos e materiais de treinamento, certificando-se de que a plataforma está sempre atualizada. Isso inclui garantir que os cursos sejam compatíveis com o LMS e que estejam acessíveis para os grupos de usuários adequados.

Monitoramento e Relatórios

Um LMS recolhe uma vasta quantidade de dados sobre o comportamento e desempenho dos alunos. O administrador extrai e analisa esses dados para produzir relatórios que podem informar decisões sobre design instrucional, necessidades de treinamento e eficácia geral do programa.

Suporte Técnico

Embora possam existir equipes de suporte dedicadas, muitas vezes o administrador de LMS é o primeiro ponto de contato para resolver problemas técnicos ou questões relacionadas ao uso da plataforma.

Atualizações e Manutenção

As plataformas, como qualquer software, necessitam de manutenção e atualizações regulares. O administrador garante que essas atualizações sejam realizadas de forma suave, minimizando interrupções e garantindo que os usuários estejam cientes de quaisquer mudanças.

– Gerente de Projeto:

Responsável por garantir que todos os componentes do projeto sejam completados no prazo, dentro do orçamento e de acordo com os padrões de qualidade desejados.

Esses são alguns dos compromissos desse cargo:

Planejamento e Definição de Escopo

Uma das primeiras responsabilidades do gerente de projetos é definir o escopo do projeto de e-learning. Isso envolve trabalhar em estreita colaboração com as partes interessadas (stakeholders) para compreender os objetivos de aprendizado, o público-alvo, os prazos e os recursos disponíveis.

Alocação de Recursos

O gerente de projetos determina quais recursos (tanto humanos quanto materiais) serão necessários para completar o projeto. Ele é responsável por atribuir tarefas a designers instrucionais, desenvolvedores, designers gráficos e outros membros da equipe.

Gerenciamento de Cronogramas

Uma vez que o projeto esteja em andamento, o gerente de projetos monitora o progresso em relação ao cronograma estabelecido, fazendo ajustes conforme necessário para garantir que o projeto permaneça no prazo.

Gestão de Riscos

Problemas podem surgir durante a execução de qualquer projeto. O gerente de projetos antecipa potenciais obstáculos e desafios, desenvolvendo planos de contingência para abordar quaisquer problemas que possam surgir.

Comunicação

A comunicação é fundamental em projetos de e-learning. O gerente de projetos serve como ponto central de comunicação entre a equipe do projeto, as partes interessadas, os patrocinadores e quaisquer outros envolvidos.

Garantia de Qualidade

O gerente de projetos também desempenha um papel no processo de garantia de qualidade, garantindo que o conteúdo de e-learning atenda ao escopo contratado, aos padrões desejados e aos objetivos de aprendizado definidos.

Encerramento do Projeto

Uma vez que o projeto de e-learning esteja completo, o gerente de projetos coordena as atividades de encerramento, que podem incluir a entrega do curso, a obtenção de feedback, a revisão de lições aprendidas e a celebração do sucesso da equipe.

Visão Estratégica

Além das tarefas diárias de gerenciamento, um gerente de projetos eficaz também possui uma visão estratégica, antecipando as necessidades futuras e direcionando o projeto de acordo com a evolução do cenário de e-learning.

Desafios ou Oportunidades?

A questão chave não é como fazer tudo isso, mas como fazer tudo isso de forma eficiente e eficaz.

Como transformar essa multiplicidade de papéis em um trunfo, uma oportunidade de crescimento e diferenciação no mercado?
Como garantir que a qualidade não seja comprometida e que a satisfação pessoal e profissional permaneça alta?

Se você, assim como eu, sente o peso e, ao mesmo tempo, a empolgação de ser DI Solo, quero convidar você para um espaço onde podemos juntos desvendar essas respostas.

Convido você a mergulhar mais fundo, a explorar cada um desses papéis e a desvendar como equilibrá-los com maestria na minha próxima Masterclass: “Desafios de uma e(u)quipe de Design Instrucional”.

Vamos juntos transformar desafios em oportunidades e pavimentar um caminho repleto de sucesso e realização.

A Masterclass acontecerá no dia 17 de agosto, às 19h.

Garanta a sua vaga clicando aqui.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =