Storytelling: Como histórias engajam o público nos cursos online

Contar uma boa história pode transformar seu e-learning em uma experiência memorável para o aluno e se traduzir em altas taxas de retenção de conhecimento e transferência de aprendizagem. Por isso, neste artigo, vou compartilhar com você tudo o que eu sei sobre Storytelling em cursos online.

Sabe quando você está zapeando os canais da TV e, de repente, está envolvido com uma trama e precisa saber o que vai acontecer depois? É a esse estado de flow que queremos levar nossos alunos, não é mesmo?

Há alguns anos era a conhecida narrativa, hoje é storytelling e tudo bem, porque a questão ficou mais profunda mesmo. Antes era contar uma história, ter um personagem… hoje há enredo, herói, vilão, drama, redenção…

E é muito mais legal! Muito mais engajador! Hoje vamos falar de storytelling para seu e-learning.

Então vamos ver como é possível fazer essa “magia” acontecer!

O que é storytelling

Segundo Martha Terenzzo, autora do livro O guia Completo do Storytelling, “storytelling é a arte interativa de usar palavras e ações para revelar os elementos e as imagens de uma história, ao mesmo tempo em que incentiva a imaginação do ouvinte”.

Eu diria que o story está ali nas palavras e ações, e o telling no incentivo à imaginação.

Dá pra fazer story sem telling?

Dar, dá… mas é tipo pão de queijo com aquele queijo ralado de pacotinho, sabe? É pão de queijo? Até é… mas se usar um bom parmesão ralado na hora fica bem melhor, né não? #ReferenciaDeGordinho

Princípios para um bom storytelling

1.      Fazer parte da solução

Provavelmente você está trabalhando em um projeto de e-learning porque a organização enxerga que há um problema (gap de conhecimento) a ser resolvido, sim? Então transforme esse problema em uma investigação e proponha ao aluno que ele encontre uma solução com base nas evidências que ele encontra ao longo do curso.

2.      Fuja do óbvio

Pense em um filme que você gosta muito… ele não apresentou logo na primeira cena qual seria o conflito a ser resolvido, não é? Não estrague a surpresa.

Construa os personagens (mostre suas características, seu caráter, suas opiniões), o cenário (mostre as condições do lugar) e só depois, quando o aluno tem clareza de quem é quem, sugira o conflito que será tratado, proponha reflexões para que o aluno decida de que lado está (do vilão ou do mocinho?).

3.      Fique de olho nos detalhes

Ao longo do curso, traga elementos que coloquem o aluno na tela do curso – seja mostrando uma escultura que existe no prédio da empresa, um quadro da sala de reuniões, peça que ele encontre evidências no cenário.

Por outro lado, esses detalhes devem ser relevantes. Cuidado para não poluir as telas com informações desnecessárias.

4.      Convença!

Ainda que sua história tenha um pouco de fantasia (como voltar no tempo ou ir ao futuro), seus personagens devem ser reais de tal modo que o aluno se identifique e se sinta representado e emocionalmente conectado à história.

5.      Final feliz

Na vida real nem toda história tem final feliz… com seu storytelling não deve ser diferente. É importante que o aluno saiba que pode haver consequência negativa sobre as ações e que há obstáculos que devem ser superados – o tempo todo!

6.      Isso ainda é um curso!

Cuidado para não se envolver com a história e esquecer que se trata de um curso que tem objetivos de aprendizagem claramente definidos.

Um bom storytelling tem que ter:

Personagens

Como eles são? O que pensam? O que sentem? Qual seu passado? Mostre tudo que seja relevante para construir a imagem alinhada ao conteúdo que será apresentado.

Cenário

Onde a história se passa? Como é esse lugar? O que está no entorno? Por que está assim e como era no passado?

Fator motivador

Qual a situação central da história? O que impulsiona as ações dos personagens?

Complicador

Qual a situação dramática que os personagens vivenciarão? Qual o desafio a ser superado?

Ponto de tensão

Como a situação anterior impacta nas decisões dos personagens? Quais conflitos são gerados a partir daí?

Conclusão

Qual a solução encontrada? Quais as perdas e ganhos para os personagens? O final foi feliz?

Reflexão

Algo como a moral da história… quais aprendizados ficaram?

Dica Bônus: Busque Inspiração

Ler alguns roteiros pode te inspirar a desenhar interações mais interessantes e complexas.

Nesse site você encontra dezenas de roteiros de filmes, novelas e peças publicitárias.

Você pode começar usando um filme que goste como referência para construir uma história; certa vez eu usei referências do “De volta para o futuro” para elaborar um curso sobre Segurança da Informação.

Me conta qual filme você gostaria de usar como referência no seu próximo curso!

1 Comentário

  1. carlos castillo

    Obrigado pelas suas dicas. Desde que fomos crianças, acredito que todo mundo foi apresentado a esta forma de comunicação. Sabido é que as antigas tribos passaram sua cultura através dessa arte de relatar as histórias de seus antepassados, cultivando assim às novas gerações. Acredito que essa grande experiência, já consolidada, estimula-se como uma estratégia para a educação formal, seja qual for a maneira de entregar esta. Vejamos o cinema, por citar um super exemplo!!

    Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. Formatos e Estratégias de Aprendizagem para sair do óbvio | Soani Vargas - […] Storytelling é a narração de uma história que permite a apresentação do conteúdo de forma contextualizada e imersiva. […]

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =

Preparando um LNT Eficaz para o Próximo Ano

É aquela época do ano novamente! Enquanto muitos estão ocupados fazendo planos para as festas, nós, profissionais de T&D, temos outra preocupação em mente: o orçamento do próximo ano. Mas,...

ler mais